Porquê Esparta?

Inspiradora de temor, mas também de mística admiração, Esparta, mais do que um nome de uma mítica cidade da Grécia Clássica, mais do que uma memória perdida nas vetustas páginas da História desta grande Europa, Esparta representa uma radical (do italiano radicale, raiz) e superior mundovisão, baseada numa visão agonal (do grego ágon, luta) da vida e assente em rígidos princípios de Honra e Fidelidade à estirpe e ao solo, sagrado regaço dos corpos e dos espíritos dos antepassados. 

Esparta, uma forma de conceber a vida e o mundo.

109 responses to “Porquê Esparta?

  1. Admiro a disciplina espartana, porém os macedonios aperfeiçoaram a chamada falange
    grega e que no entanto não foram páreo para as
    legiões romanas. seguindo esta lógica os romanos foram os maiores conquistadores da antiguidade.

    • Os espartanos não eram conquistadores,apenas defendiam suas fronteiras.

    • os maiores conquistadores da antiguidade foram Gengis Khan e alexandre o magno ,Alexandre era um general de extraordinária habilidade e sagacidade, talvez o melhor de todos os tempos, pois ele nunca perdeu nenhuma batalha e a expansão territorial que ele proporcionou é uma das maiores da história, a maior expansão territorial em um período bem curto de tempo.

      Gengis Khan Estrategista brilhante, com hábeis arqueiros montados à sua disposição, venceu a grande muralha da China, conquistou aquele país e estendeu o seu império em direção ao oeste e ao sul. Gengis morreria antes de ver seu império alcançar sua extensão máxima, mas todos os líderes mongóis posteriores associariam sua própria glória às conquistas de Gengis Khan, que foi um dos comandantes militares mais bem sucedidos da história da humanidade.

  2. Na minha opinião, os maiores conquistadores foram os Mongóis liderados por Gengis Khan

  3. Cada civilização teve sua época de glória e queda.

    Gengis Khan, Xerxes, os Césares, Alexandre, Felipe, Dario, Napoleão etc.

    Cada um fora um estrategista e cada um teve sua queda. Um não apaca ou sequer ofusca a realização dos demais.

  4. A gloria dos espartanos só não foi maior pela sua falta de conquistas. Admiro Leonidas e sua coragem.A gloria de Esparta jamais sera esquecida.

    • O OBJETIVO DOS ESPARTANOS NÃO ERA CONQUISTAR E SIM NÃO SEREM CONQUISTADOS. LUTAVAM PARA MANTER SUA LIBERDADE. POR ISSO ERAM GUERREIROS TÃO BONS, PORQUE TINHA RECEIO DE SEREM ATACADOS. DAÍ, TREINAVAM SEM CESSAR, PARA QUE PUDESSEM VENCER SEMPRE.

  5. bom na minha opinião o maior e mais completo execito foi u romano …pois u imperio acabou pq não havia mais mão de obra e escravos pois ja haviam conquistado tudu…mais os persas são os mais interessantes…com suas grandes massa…acabavam com a resistencia ….com quantidade…..homens são apenas numeros….

  6. entre os espartanos e os romanos nao sei mais quem admirar pela coragem,força,combatividade , espirito guerreiro e homogeneidade em combate, talvez um dia a historia me mostre quem foi o melhor.

  7. Oia pra mim naum tem conversa os esprtas sempre foi e sempre sera o mlhor q existiu nos tempos passados pois eles eram os unicos q tinham seus soldados formados desde de pequeno e q naum temiam nada,e q eles tb davam suas vidas sem nada o q pedir…..
    por isso q eu so fã do espartas!!!!!!

  8. Bom de todas as historis que já ouvi Esparta é a unica que me fez ainda acreditar em ( respeito,honra e lealdade p/ com os seus não so p/ si…..
    parabens Jahgm pelo site..grande abraço esparnano.

  9. axu os espartanos o povo mais considerado da antiguidade pq eles botavam a cara mesmo no cacete e naum corriam!!!!!!!!
    tem q ser assim=!!!!!!!!!!!!!!!!
    por isso sou fã desses caras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  10. Não seria possível para os jovens de hoje, tão chegados a falta de responsabilidade e comprometimento, uma educação espartana? Quem sabe assim poderemos ver uma solução para os problemas existenciais de tantos jovens do nosso país.

  11. A mim o que me fascina nas Histo’rias dos Espartanos e’ a forma como as criancas desde pequenas sao ensinadas a combater , a nao se renderem e assim era a LEI tambem as suas te’cnicas de combate com as suas lancas e os seus escudos…..Fascinante.

  12. Esparta,esparta,guerreira de própria natureza,fugaz de natural beleza.força :
    sua mais simples nobreza.
    1 dos seus vale por mil de outros,grandes monstros traspassados por fúria e ódio.
    terra infinita de guerreiros eternos .
    Mulheres que mantinham respeito,formadoras de um exército verdadeiro.
    formados em artes de guerra ,doutorados em ataque e defesa.
    nosso pão nós mesmos colocamos na mesa,a não ser nós mesmos ninguém o tira.
    Que venham quem quiser vir,romano ,persa,ou lá dos confins,a menos que você seja Deus ,você não entra aqui.

    Feito:13/09/2007
    Escrevente:Denisart de jesus

  13. Denisart de Jeus, Muito lindo este texto Parabens.

  14. Nada como uma vida de valores para enxer os olhos de qualquer um que escuta falar sobre os feitos dos espartanos. Honbra, glória, amor à cidade-Estado, amor, acima de tudo, à liberdade. Acima de qualquer elogio que se possa fazer a eles é que eram LIVRES. Nenhum adjetivo caberia melhor do q esse. LIVRES. Ou seja, ninguém mandou neles.
    “Only the hard, only the strong” como diz o narrador Dilios de 300 ( o filme). “Somente os duros, somente os fortes”. Isso é tudo, pois já diz tudo.

  15. sobre os esparta do seu inicio ate os dias de hoje mais ate os espartanos da epoca da civilizacao da epoca

  16. Como os espartanos os bizantinos foram aniquilados pelos persas mas foi só em cerca de 1500/1700 d.c ,acho, mas eles conquistaram o mesmo que os romanos e eles tinham um imperio muito extenso e sobreviveram cerca de 1500 anos e superaram os romanos em tudo pois a muralha da capital bizantina Constantinopla só foi destruída pelo aparecimento da polvora e foi pelos persas por causa dos seus extensos exercitos

  17. Entre Esparta e o Império Romano, Esparta é melhor por um único motivo: grande parte do exercíto romano eram mecenários, ou seja, eram pagos para ir a guerra, o espartanos não, eles nasciam para a guerra.

  18. Espartas tinham sangue de homens, davam suas vidas por sua patria, isso e oq eu mais admiro nos espartanos…

  19. espectaculosa cidade e gerreiros

  20. vcs deveriam ter mais pesquisas sobre a mulher de atenas

  21. os espartanos nos deram uma lição que hoje esquecemos,como viver com honra gloria,como se importar com o irmao ao ladoe como ser duro e forte.
    realmente eram os melhores!!!

  22. Esparta foi magnífica em sua época.Leônidas mostrou muita coragem ao enfrentar Xerxes e seus mais de 100 mil soldados.Não só Esparta com sua rival conterrânea (Atenas), deixaram grandes marcas na civilização ocidental, tanto que Roma ao conquista-las, nutriu boa parte de sua cultura, em vez de destrui-la.
    A luta nas Termópilas foi uma grande prova de união, proteção e amor p/ com um povo!

  23. pra mim podem falar oque quizerem mais nao ouve na istoria povo que levou 300 homens para uma guerra tao cinistra dale leonidas grande rei dale todo spartano que foi aquela guerra se os spartanos nao conquistarao muita coisa mais deixarao atraves do tempo uma historia de coragem e honrra coisa que faltou em muitos povos que se garantiao na quantidade nao na qualidade de seus guerreiros povos covardes como os romanos povo mercenario e covarde viva dilios e seus irmaos sou fa dos spartanos levo comigo a liçao que eles deixarao pra nos que ate um deus rei iria sangrar depois da guerra viva leonidas e seus 300 guerreiros nao escravos …..ate nos games eu tenho um fa espartano KRATOS so avera kaus

  24. Entre Espartanos e Romanos, os Espartanos são meus favoritos, pq eles despertam a imaginação do cara… sempre me imaginei lutando ao lados deles, eu gostaria disso, Espartanos, esses sim eram homens de verdade. Dar a vida pelo companheiro do lado, lutar sem questionar, fato apenas igual aos myrmidons (soldados de Aquiles, não questionavam ordens de seu superior, não importasse o quanto fosse duro ou maléfico, o faziam sem piedade)…

    Grato aos Espartanos por ter nos deixado uma das melhores heranças da humanidade… o amor ao proximo, respeito aos idosos e as mulheres, humildade, e varios outros atributos que agora não me recordo…

    Leonidas, grande homem… este sim deveria ser chamado, de “Leonidas, o Grande”, pois deu a vida pelo seus irmão.

  25. admiro muito Leonidas, por sua coragem e fe n0s seus homem que lhe seguia ate amorte

  26. esparta é a maior cidade guerreira já exstente no mundo

  27. Eu tenho um fã espartano (dos games KRATOS) eu queria q ele existisse na época da guerra de esparta contra a Persia ai sim pode vim qualquer um q morre seria tanoto sangue q alguns se afogariam no sangue dos soldados de Xerxes

    Xerxes é muito covarde so luta praticamente nas flechas mesmo assim nao tiveram pra eles ate quando chegaram os imortais(que morriam facilmente para os soldados estartanos)q mataran uns 15 espartanos na guerra final esparta com seus ultimos 10 homens(q nao voltaram a cidade)ainda acabaram com uns 100 soldados persios e morreram.

    Como eu queria q a época Esparta voltasse.Assim q tem q ser Leonidas um bravo rei e guerreiro

  28. EU ACHO Q O EXERCITO MACEDONICO NA EPOCA DE ALEXANDRE FOI O MAIS VENCEDOR E GLORIOSO DE TODOS OS TEMPOS! O EXERCITO COMO ESPINHA DORSAL A FALANGE, CAVALARIA, E OS ESCUDOS DE PRATA.! EM 8 ANOS ANOS ESSE BRILHANTE EXERCITO CONQUISTOU TODA GRECIA, TRACIA, EGITO, IMPERIO PERSA, E PARTE DA INDIA. NUNCA PERDERAM SEQUER UMA BATALHA !!! OS ROMANOS QUANDO VENCERAM OS MACEDONIOS NA BATALHA DE PIDNA E CELAFECULOS, O REINO ESTAVA EM DECADENCIA E DIVIDIDO. JÁ A FAMOSA LEGIAO ROMANA PERDERAM VARIAS BATALHAS E GUERRAS FORMAIS, COMO ALGUMAS EM CARTAGO, ALGUMAS NA GERMANIA, NO REINO DE EPIRO, NO IMPERIO PARTAS(NUNCA TIVERAM SUCESSO), E PARA ESPARCUS Q VERGONHAS TIVERAM OS ROMANOS VARIAS BAIXAS! ENTAO ONDE ESTÁ O TAL SUCESSO E O TAL PODERIO DA LEGIAO ROMANA? OS EXERCITO DE ALEXANDRE FOI ATE A INDIA! SÓ NAO CHEGOU NA CHINA PQ O EXERCITO QUERIA DESCANÇO, FAMILIA, E USUFLUIR DAS RIQUESAS……….O EXERCITO DE GENGIS KHAN FOI BRILHANTE MAS ELES TINHA UMA GRANDE POPULAÇÃO E MAO DE OBRA HUMANA PRA USAR NUMA GUERRA, QUANTO Q O EXERCITO DE ALEXANDRE SEMPRE ERAM EM MENORES NUMEROS. PORTANTO O EXERCITO MACEDONICO DE 336 A.C ATÉ 323A.C FOI O MAIS BRILHANTE DA HISTORIA! QUEM AGORA PODERÁ DISCORDAR ESTUDEM MAIS!

  29. Alexandre era o grande mas ele so se preucupava em dominar tudo pra ele na guerra e sangue.
    Dario foi um do quarteto conselheiro de um rei persa bem justo.
    ele queria unir as tribos e fazer a paz.

    Esparta tinha poucos soldados mas tinhas os melhores do mundo, Alexandre admira Aquiles,
    Napoleão Admira Alexandre, Napoleão so teve 2 grande derrotas mas Alexandre nem uma ele era um DOIDO!
    só queria guerra!!!

  30. Meus amigos é com apresso que vejo outros que partilham os meus gostos pela Antiguidade.
    Sou um admirador de Esparta. A batalha de Termopilas é sem duvida um dos episódios mais cativantes da historia onde poucos aguentaram contra muitos, ( 300 contra talvez o maior exercito que já caminhou na Terra).
    Os Espartanos foram sem duvida os melhores do seu tempo, não só os melhores do mundo grego com alguns dizem, mas de todo o mundo conhecido, no entanto se eu tivesse de escolher a maior força militar dominante da antiguidade então escolheria os romanos. È verdade que conheceram derrotas, mas quem não as ia conhecer depois de 1000 anos de expansão e conquista, a verdade é que voltavam sempre depois de cada derrota e mais fortes adaptando-se ás tácticas inimigas e além disso muitas das derrotas deveram-se à sua arrogância e menosprezo do inimigo.
    Roma foi a civilização no meio de um mundo bárbaro. O que fez o império cair foram os próprios os romanos que ao longo dos séculos viram-se sempre no meio de guerras civis e intrigas que funcionaram como um cancro da sua civilização.

  31. Admiravel… Infelizmente nasci num pais cujo o rei fujiu de sua nacao temendo uma invasao… covarde!!! E por isso que neste pais faltam valores… o que havia de podre em portugal esta aqui… nao precisavamos de tecnicas de guerra, mas sim de responsabilidade, honra e conciencia do dever… assim como Esparta…

  32. Amigo Zamiel, tendo em conta a diferença de tempo entre o apogeu de Esparta e o de Roma é díficil fazer comparações.Não se esqueça que antes de Roma exitir como civilização já haviam outras e mais interessantes.Roma como civilização é de facto fascinante mas se pensarmos bem a maior parte da sua cultura é grega, desde a adopção dos deuses gregos até ao próprio sistema militar. A disciplina exercida no exército romano, assim como a posição das legiões em batalha lembram Esparta, apenas diferindo no modo posicional colectivo, em Esparta só se usava a falange mas o sistema de cada homem ao lado do outro cerrando fileiras com o escudo é o mesmo.
    Quanto à arte da guerra própriamente dita em termos de estratégia, bem o melhor mesmo é ler o livro A Arte da Guerra de Sun Tzu, um general chinês que escreveu pela primeira vez um tratado de tácticas de guerra bem antes dos romanos ascenderem como império ou nação (viveu entre 544 e 496 A.C.)

  33. eu amo sparta se eu pudesse voltar no tempo eu ja ia ser um spartano
    gosto tambem dos romanos mas comos eles foram tapados nao perceberam que toodos os seus inimigos se juntarao e colocarão roma ao chão asim seus inimigos eram chamados de barbaros

  34. A HISTORIA DIZ Q O MELHOR EXERCITO VENCEDOR FOI A FALANGE DE ALEXANDRE MAGNO POIS PARTICIPOU DE MAIS DE😯 BATALHAS E NUNCA FORA DERROTADA! E ESSE EXERCITO FEZ O FEITO MILITAR MAIS ASSOMBROSO DA HISTORIA OCORRIDO EM GAUGAMELA, COM A CONQUISTA DO IMPERIO PERSA! REALMENTE CONQUISTAR O EGITO, PERSIA, FENICIA, MESOPOTAMIA, GRECIA E PARTE DA INDIA FOI ALGO Q OS ROMANOS SEMPRE SONHARAM MAS NUNCA CONSEGUIRAM! JÁ A LEGIAO ROMANA VENCEU A FALANGE MACEDONICA 200 ANOS DEPOIS DA MORTE DE ALEXANDRE! A LEGIAO ROMANA AO LONGO DA HISTORIA TEVE VARIAS DERROTAS INCLUSIVE NO VEXAME DE PERDER ALGUMAS BATALHAS PARA OS REVOLTOSOS LIDERADOS POR SPARTACUS! A LEGIAO NUNCA SUPEROU O EXERCITO PERSA! ENTAO A FALANGE DE ALEXANDRE FOI A MAIS VENCEDORA DE TODOS OS TEMPOS!

  35. parabens! por este arcervo de informação . tão profundas.que a força espartana esteja sempre com vós outros!esteja serto que o grande Deus! em sua mizericordia.e justiça já, está esclarecedo atraves deste site.todo trancedental.que nós verdadeiros espartanos agora reencarnados nesta era temos amição da evolução. não mais com a espada. porem com a coragem de um guerreiro.para ter amor,umildade e tolerância.obrigado!grande guerreiro!!meu imão espartano.que o grande simiromba ti ilumine nesta jornada salve DEUS,!

  36. Tou a adorar trocar ideias com os amantes de história como eu, mas embora admire muito os espartanos tenho de defender os meus romanos!
    Na minha opinião o exército romano foi sem duvida nenhuma a maior força militar da antiguidade! Porquê? Pelo simples facto de terem sido o último grande poderio militar da altura ou seja, adoptaram, evoluíram e tornaram obsoletas todas as tácticas e técnicas até ali de diferentes culturas até formarem o último e derradeiro grande exército da antiguidade, (a espada gladius dos celtas, o pilum, as fileiras coesas da Grécia, ect), depois de Roma cair deu-se início à época das trevas, daí o último e derradeiro exército da antiguidade.
    Vejo que falam muito da falange de Alexandre que de facto foi invencível na sua altura, não havia infantaria, cavalaria ou elefante que os derrotasse, mas ponham uma falange á frente de um exército de legionários e os historiadores dizem-vos o que acontece ou melhor o que aconteceu! Os escudos grandes e rectangulares fornecem uma excelente protecção e depois de desviarem as pontas das lanças com a pequena espada é só entrar por entre as longas varas de madeira até trespassarem os homens do outro lado.
    Vejo que falam também das batalhas perdidas por Roma como as com Spartacus, que embora com algum crédito do antigo escravo deram-se também em grande parte devido a o subestimarem, mas bastou Roma arregaçar as mangas para pôr um ponto final à revolta. Querem falar de um digno general que derrotou verdadeiros exércitos romanos (em batalhas e não na guerra), então falem de Aníbal o Cartaginês!

  37. Caro Zamiel, agradeço o seu contributo e devo dizer que também eu sou um admirador de Roma. Contudo, evitando comparações civilizacionais, este é um espaço dedicado a Esparta pelo simples facto de que não existe muita literatura em português dedicada a este fantástico povo e a quem, provavelmente, estamos em dívida perpétua, ou seja, se hoje somos quem somos, ao sacríficio dos 300 muito se deve.
    Esparta tem muito por descobrir e ensinar, ainda para mais na época actual em que reina a decadência moral e física, onde os valores são relegados para o caixote do lixo.
    Recuperemos pois então o exemplo de Esparta.

  38. Tens razão Jahgm, peço desculpa, mas não consegui evitar. Vou então me redimir. A pergunta é: Porquê Esparta? Desde criança que sempre fiquei encantado pela cultura e a rica mitologia grega e foi só à alguns anos que vim a conhecer Esparta que me deixou😮.
    Escolhidos á nascença, treinados a partir dos 7 anos para serem guerreiros invencíveis e claro os 300 deixam-me completamente fascinado. Os heróis que adorei da banda desenhada, filmes, fantasia e imaginação eram agora reais e tinham realmente feito parte da nossa história😀

  39. QUAL A FILOSOFIA DO POVO ESPARTANO?
    O QUE É TER UMA VIDA ESPARTANA?
    NO LAR TINHA SOMENTE COISAS ÚTEIS, SEM DECORAÇÃO??
    OBRIGADA SE ME ESCLARECER.

  40. Não há muito que dizer, embora houvesse muito a ser explorado, contente-se em saber que os espartanos não precisavam das quinquilharias que nós persistimos em cobiçar:
    Se você quisesse um cavalo, os espartanos calçariam as sandálias e seguiriam a pé…
    Se você quisesse um exército capaz de produzir nuvens de setas fulminantes, os espartanos empunhariam um ‘simples’, no entanto essencial escudo…
    Se você quisesse cama arrumada, comidinha gostosa e o aconchego do lar, os espartanos embainhariam a espada ergueriam as lanças e marchariam na direção das nuvens mais escuras, das tempestades mais devastadoras, na direção das glórias e em busca da eternidade que não se esgota como as efêmeras paixões materialistas, tão atuais!!
    Não há o que dizer, embora haja tanto para se explorar, apenas compreenda que algumas pessoas preferem a ‘simplicidade’ espartana, que prega algo muito mais real do que os politiquismos torpes e abusivos dessa era medíocre…
    Salve ESPARTA!!!!!!

  41. Qual a filosofia do povo espartano? Penso que a filosofia espartana envolve o militarismo e a perfeição do guerreiro, os escravos superavam a população espartana em 10 para 1 e isso pedia 1 grande controlo e resultou na transformação para povo que conhecemos hoje.
    Uma vida espartana envolve para os filhos dos cidadãos uma educação severa. A partir dos 7 anos deixam as famílias e passam a viver em comunidade. Não é dada grande atenção ás primeiras letras, pois o importante é o treino físico. Passam os dias a praticar desportos marciais e corrida e têm de sobreviver pelo seus próprios meios muitas vezes recorrendo ao roubo, coisa que era aceite na comunidade desde que não fossem apanhados o que podia resultar num forte castigo. As mulheres tinham como obrigação manterem-se em forma para darem à luz filhos robustos.
    Viviam sem luxos para não enfraquecerem tanto o corpo como o espírito, as refeições eram frugais e tanto quanto sei a própria cidade de Esparta não tinha grandes monumentos ou obras arquitectónicas como a sua rival Atenas, portanto suas casas deviam manter o mesmo princípio de simplicidade.

  42. Percebe-se que grande parte dos leitores que aqui comentam demonstram grande afeição pelo espírito espartano de honra, servidão e simplicidade mas (no contexto social brasileiro) poucos se devotariam da mesma forma pela pátria hoje em dia como os espartanos fizeram.
    O que está (e sempre esteve) truncando o nosso nacionalismo? Seria a colonização de exploração? A diversidade étnica? A grande extensão territorial? Deixo a pergunta…

  43. Bela reflexão Caio.

    Retomando o assunto tratado mais acima deixo meu depoimento com estudante de História e fascinados na Antiguidade.
    Alguns exporam sua opinião de qual seria o “melhor” império, mas deixo claro, que nunca ouve um melhor império. O que acontece é que todo império teve seu início, ápice e fim. Os Persas dominavam todo o médio oriente, tiveram seu ápice, mas deviso a sua grande extensão, foi inevitável o aumento da população e o enfraquecimento das fronteirs possibilitando aos macedonios, liderados por Alexandre, que ja tinha dominado toda Grécia, dominar dito império. Após Alexandre fazer a expansão territorial macedonica, coube à Roma dominar tal Império, e isso não quer dizer que Roma era melhor que os macedonios, mas sim que o periodo de dominação deles já chagava ao seu fim, o Império enfraquecera e assim as tropas romanas dominaram toda Europa, Arábia e norte da África. Vemos isso no mundo hoje, o tempo de dominação dos Estadunidenses chega ao seu fim, surgindo a China como potência mundial.

    Espero ter deixado claro o ponto de vista da história.

    Porém eu vivo pensando como seria de os Persas não tivesses sido barrados peloas gregos e invadido toda Europa, os filhos de Enéias não teriam nascidos rsrsrs, os persas já teriam dominado os tribos itálicas.

  44. “Você acha que o mundo de hoje só será livre quando terroristas “rebeldes” de ditaduras totalitárias comunistas e islâmicas como a China e o Irã destruírem os Estados Unidos da América? Tudo bem: os espartanos também diziam que a Grécia só seria livre quando destruíssem a hegemonia política e cultural de Atenas e sua “podre” democracia. Aqueles que não aprendem as lições do passado estão condenados a repeti-lo.

    Hoje, a Grécia é apenas um país subdesenvolvido, medíocre como qualquer outro do Terceiro Mundo, e só começa a prosperar graças ao esforço da União Européia. Esparta tem hoje mais ou menos a mesma população de antigamente, mas sua situação no século 21 é tão insignificante que dá dó: os espartanos habitam uma cidadezinha pobre de 50 mil habitantes, com mendigo pedindo esmola e prostitutas se oferecendo a estrangeiros; criança jogando futebol no meio da rua, mulher batalhando pra sustentar o marido inútil, velho jogando dama na praça. Povo cristão ortodoxo, os gregos vão rezar na igreja aos domingos. Uma chatice só. Só valem mesmo as ruínas pra turista olhar. Dê uma passadinha ali e deixe uns tostões, que o povo precisa.”

  45. Grécia um pais de terceiro mundo?!! Bem quando penso em países de terceiro mundo penso em somália, etiópia etc, etc … o ordenado mínimo da Grécia é só quase 4x mais que o ordenado mínimo do Brasil… nada mau para um pais do terceiro mundo.
    Desde quando é que uma cidade para ser Grande para a humanidade tem de ter peso populacional, importância geográfica ou comercial ou qualquer outra importância nos tempos de hoje? Quantas são as cidades mortas por este mundo fora que ainda nos causam admiração e respeito pelo impacto que tiveram na nossa historia?

  46. eu qria poder formar guereirros espartanos nos dias de hoj
    homes mesmo
    do tipo que são bem homes e não covardes que formão grupos e se esconde atras dos outros !!
    um homem espartano é mais homem q 1 000
    de hoj em dia

    Espartanos ainda vivem !!!!!
    venero os homems espartanos q cairão em batalha !

  47. SPARTA FOI A ÚNICA CIDADE ONDE TODA A POPULAÇÃO TINHA COMO ÚNICA FUNÇÃO VIVER E MORRER PELA PÁTRIA. POR ESSA RAZÃO, SÃO INSUPERÁVEIS. SALVE ESPARTA.

  48. BEM , O QUE DIZER DE UM POVO QUE SIMPLESMENTE TEM UM ARDOR PATRIÓTICO FORA DE SÉRIE? PODERIA FICAR POR LONGOS E DEMASIADOS PARAGRAFOS ELOGIANDO TAL POVO , NA VERDADE NÃO TENHO ADJETIVOS ”SUPREMOS ” PARA QUALIFICAR TAL POVO , SENDO ASSIM

    EYE OF THE TYGER!!!!!!!!!!!!!
    SALVE ESPARTA

  49. adorei o site , achei muito interessante por que estava fazendo uma pesquisa e esse site ajudouu muito!

  50. ADOREI AS FOTOS SOBRE ESPARTA ,ADOREI O CONTEUDO
    VOU VOLTAR SEMPRE

    BJOCAS

  51. ADOREI AS COISAS SOBRE ESPARTA
    O CONTEUDOE SUPER LEGAL .SALVE ESPARTA

  52. ADOREI AS FOTOS SOBRE ESPARTA
    O CONTEUDO E SHOW

  53. ESPARTO ….eram um bando de lixo, na grecia era a civilização mais atrasada e talves por iso foi 1 das 1° a sucumbir…..seu exercito era sua unica ambição e por iso deichavão de crescer em outras areas…os espartanos eram nenem perto da organização do emperio romano que sabia consiliar n° de soldados e crescimento de seus dominios. esparta so é lembrada pela estupides, e arrogancia que não levaran-na a nada.

  54. Julio Cesar, não emporcalhes o nome dessa insígne figura que foi o nobre romano, porque além de ignorante nem português consegues escrever correctamente. Não gostas de Esparta não visites o site, não o leias, embora devesses fazê-lo para aprenderes alguma coisa e para, desse modo, esse teu cérebro oco ficar preenchido com alguma coisa proveitosa.

  55. Julio cesar compreendo gostes do império romano, temos isso em comum, mas só um ignorante pode menosprezar Esparta e o impacto que teve no mundo. A batalha de termopilas foi um daqueles momentos decisivos que definiram o caminho da história. Perder contra os persas seria perder a nossa cultura actual. A lição daquele pequeno, grande episodio mostrou que poucos podem contra muitos. Alguma da disciplina e da organização do exercito espartano foi adoptado ao longo dos tempos por outros povos incluindo o romano e encontramos ainda hoje nos militares actuais. Por ultimo ao espartanos eram… cool.
    Também é verdade que o fim de Esparta não foi nada impressionante, incapazes de evoluir permaneceram demasiado fieis ás suas tradições. Sempre pequenos em numero devido ás suas exigências de um ser perfeito e seguindo sempre as mesma postura em batalha sem acrescentar nada de novo num mundo em constante evolução, acabaram desaparecendo.

  56. Temos também no mapa, Viriato, grande líder dos nosso antepassados Lusitanos, que apesar de ter sido criado como pastor nos montes Hermínios, foi grande líder militar e estratega contra o Império Romano. As suas tropas conquistaram um terço da Península Ibérica e só foi detido à traição, assassinado durante o sono por corruptos ao serviço do decadente Império Romano.

  57. Alguém sabe me dizer 10 grandes guerras do império Romano e 10 dos Espartanos?…… AAhh me desculpem Espartanos so tiveram no Máximo 5 Batalhas e nunca sairam de sua cidade para conquistar nada. Enquanto Roma foi uma Cidade q conquistou um País e conquistou o mundo antigo tremendo o chão por onde passavam, trazendo a civilidade, água ao mundo levando até ao Egito por aquedutos e um estilo de vida bem diferente q levavam para outros povos. E OS ESPARTANOS CONQUISTARAM O QUE? O QUE FIZERAM PARA O MUNDO?

  58. u que os Espartanos trouxeram para o mundo? A homoxexualidade!!! xD

  59. XXXX, Esparta foi uma Polis autocêntrica, não tinha ambições expansionistas como Roma, logo, a comparação é no mínimo absurda.

  60. Nharapi, o seu comentário somente pode ser desculpado à luz da ignorância que grassa na sua mente poluída. Veja este link no youtube e quiçá consiga limpar os detritos mentais que povoam o seu cérebro.

  61. eu ameiiiiiiii cara ♥

  62. É inegável que muitas nações antigas,conquistaram respeito e expandiram seu reino,mas isso era feito apenas para conseguir escravos e nações submissas onde podiam fazer oque bem quizessem,ou seja,eram apenas homens que matavam outros homens sem se importar com eles;homens crueis e abomináveis.,….
    Mas Esparta não!!! Está grande cidade só não teve grandes conquistas mundiais porque não lutava com o intuito de massacrar outros e sim para proteger a sí mesmos.Lutavam em prol da honra,da dignidade,da lealdade e tantos outros bons sentimentos que não vemos hoje em dia em sociedade nenhuma no mundo.
    É por isso que eu os admiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  63. “molon labe”

  64. Concordo com Jahgm pois a cabeça poluida de certas pessoas estão deixando nosso país em um caos e também para os próximos que lerem esta pagina saibam que esparta não era apenas boa na arte da guerra mas também na metalurgica agricultura pois analizem como os hoplitas irião sobreviver sem suprimentos em uma batalha como eles teriam suas armas sem um ferreiro para as concertar se estivessem quebradas mas esparta era muito rica em minerios como o bronze eo ouro . Esparta por muitos dias resistio contra os persas que Roma nem conceguio dominar eu mesmo sou um grande ad,iradorde Roma e de seu imperio mas eles matavam por prazer fama e poder o exercíto espartano massacrou milhres romanos quando eles invadiram Esparta .Mas o que gosto nos espartanos é seu amor por sua terra por suas mulheres e filhos e no filme 300 a esposa do rei LEONIDAS falou uma frase de amor a sua terra e seu habitantes e ela falou que somente as espartanas dão a luz a homens de verdade .Por isso não digam que Esparta era uma sociedade ruin sem condições de se manter pois Esparta tinha muito mais honra que qualquer outro país …

  65. O espírito Espartano, da conquista e do poder. A saudosa esparta jamais será esquecida, pois, é referencial de educação, caráter e honra. Saber transformar o medo em coragem, da disciplina uma virtude, é tudo que as nações atuais precisam. Au! Au! Au!!

  66. na minha opinião a liderança espartana era brava e honrada eles eram muito bruto eu queria ser um espartano e esta em uma guerra contra roma

  67. Bom amigos. Admiradores de Esparta…………
    realmente….os Imperios de Alexandre o Grande. E Roma…sim forem gloriosos, mas pelas suas conquistas…admiro muitos tais imperios…mas a verdade é que tais imperios conseguiram tal feito sobre Esparta, e Talves a Grecia…pelo fato de que Esparta estava em seu fim…pois Guerriar contra Atenas…e logo depopis sustantar uma Rebeldia de sua Aliada de anos Tebas…enfrequeceram muito Esparta…a Guerra contra Tebas. esta que so conseguiu vencer Esparta pelo fato de suas baixa contra Atenas… decretou o fim da Cidade Gloriosa de Esparta…..Tebas realizou um grande feito vencendo Esparta mesmo que fraca….porem nao teria poder sufuciente para vencer Alexandre…..ppis Tepas tb estaria fraca pela Guarra civil que Atenas vivenciava na Epoca…….Alexandre conqueistou a Grecia com uma certa facilidade….se formos comparar a força que nois sabemos que Esparta e oputras cidades- Estados da Grecia possuia….e tb o Exercito e Alexandre tb possuia muitos Espartanos e Gregos como todos aki sabem..creiu eu……e O Imperio Romano conquistou o q Alexandre deixou pala decadencia do seu Imperio……torno a Repetir Roma foi incrivel…porem suas conquistas sobre os Exercitos mias fortes foram quando tais Exercitos estavam enfraquecido por causa das Guerras sucessivas que eles tiveram…mesmo assim nao foi facil para Roman conjurar tais Exercitos……..Mas ouq Fica para mim..é o Orgulho, Gloria, respeito, amor, que Os Espartanos tinham um para o outro e para sua Patria…….como diz o grande Rei Leonidas: ESPARTANOS QUAL É A SUA PROFISSÃO?!!!!!!!!!!!!!

  68. Os Espartanos tinham muita qualidade e isso ninguem pode negar, agora imaginem se eles fossem iguais aos outros povos em termo de quantidade, não haveriam exercitos naquela época que os desafiassem. Eles eram “Os Caras”…

  69. QUEM ME DERA TER VIVIDO NESTA ÉPOCA. PARA PODER SENTIR O PODER DA SUPERIORIDADE SOBRE OS MEUS ADVÉRSARIOS,O ODIO POR NÃO ACEITAR AS INTENÇÕES DO REI Xerxes , E RECEBIDO AGLORIA DE TER MORRIDO AO LADO DO GRANDE REI LEONIDAS.

  70. fernando de esparta

    os espartanos para mim eram os maiores da antiguidade,na minha opinião nem roma vence eles

  71. fernando de esparta

    o julio cesar está errado,roma ja guerriou contra esparta,e esparta continuou de pé…

  72. fernando de esparta

    esparta é o cidade mais forte de toda antiguidade

  73. Antonio José inácio

    Impressionante como as pessoas falam de Esparta como se quisessem nela viver. Os espartanos eram um povos de ideias engessadas, exclerosados. Claro que tinham o lado positivo de disciplina e honra. Contudo, seu legado nem se comparam a d0s romanos, em que a diversidade de cultura era tão aceitável que o mundo romano parece copiar o mundo grego, já que o mundo grego era o q tinha de melhor na época. Outro exemplo de aceitar diversidade: Roma rejeitou o cristianismo no início e depois se tornou o centro da religião. Isso é q é exclerose zero.
    Tanto que Roma se dissolveu mas não foi conquistada.
    Isto lembra os EUA atualmente, ou o Brasil com diversidade cultural.
    Esparta é tudo que rejeitamos hoje, preconceito e intolerância ao extremo.
    Desse modo como iria evoluir? Como avançaria a tecnologia e política?
    Esparta nunca aceitaria o cristianismo.
    Quanto a comparar com os dias de hoje é brincadeira. O mundo vivem em evolução tecnológica, política, humana, etc. O modo de vida espartano hoje seria chamado de bandidismo. Alias, muitos grupos de bandidos vivem hoje como os espartanos ou como outros povos antigos. Observem!

    • voce e um burro e idiota seu panaca esparta atenas macedonia micenas creta isso e cultura cada uma de um jeito esparta Esparta sempre chamou a atenção dos historiadores, antigos e atuais, por suas
      peculiaridades dentro do panorama da Grécia Antiga. Ainda hoje o estudo de Esparta causa
      um fascínio enorme, mesclando sentimentos de espanto e admiração. Tais sentimentos
      ambíguos para com Esparta, demonstrados na historiografia ao longo dos anos, contribui para
      dificultar uma compreensão crítica e reflexiva acerca do surgimento das principais
      características pelas quais Esparta é denotada na história.
      Devemos lembrar que, na escrita da história da Grécia antiga, pressupostos políticos e
      ideológicos estiveram sempre presentes e influenciaram na formação de uma imagem em
      torno das duas cidades mais importantes daquela época, Atenas e Esparta. No século XIX, a
      historiografia alemã, através de Karl Müller, e a francesa, através de Gustave Glotz, se
      contrapunham na hora de dar ênfase à Esparta ou Atenas. Isso nos fica claro quando
      pensamos que, imerso no seu tempo, o historiador busca no passado a imagem ideal daquilo
      que ele quer reafirmar e discutir no seu presente. Müller buscava em Esparta um ideal
      prussiano, realçando a pureza racial, a austeridade e a força militar espartana. Enquanto isso, a
      historiografia francesa via em Atenas o modelo da democracia burguesa contemporânea,
      ressaltando suas qualidades. Já no começo do século XX, Esparta foi elogiada pelos nazistas
      graças ao seu fervor militar, e pelos comunistas pelo uso da propriedade pública e
      redistribuição da produção agrícola. Após a Segunda Guerra Mundial, o foco econômico
      ganha destaque no estudo da Grécia Antiga, destacando-se a influência marxista nesse
      processo. Com a desaceleração da Guerra Fria, a história das mentalidades começa a ganhar
      terreno, principalmente na França, com nomes de destaque como Jean-Pierre Vernant. A
      partir dos anos 80 até hoje, temos um retorno ao enfoque da história política da Grécia, que
      visa esclarecer questões acerca do modo de funcionamento das instituições e dos diversos
      sistemas políticos, como a própria oligarquia Espartana, numa visão mais questionadora e
      reflexiva. Destacam-se nesse período vários autores importantes, dentre eles Moses Finley e
      Claude Mossé.
      Toda essa historiografia de longa data certamente contribuiu para o avanço do nosso
      conhecimento sobre Esparta, mas acabou também criando, na sua busca por explicações,
      conceitos determinantes, generalizantes e preconceituosos para o estudo em questão. Por isso,
      precisamos desmistificar vários aspectos que essa historiografia trouxe até nós, livrando-nos
      do juízo de valor acentuado, para adotar uma postura revisionista e altamente crítica no
      sentido de construir uma Esparta cada vez mais histórica e não ideologizada.
      No seguinte trabalho, nosso objetivo vai ser esclarecer os motivos que contribuíram
      para a formação de uma cidade guerreira em Esparta. Discutiremos alguns elementos que
      poderiam permitir, ou não, o surgimento da belicosidade espartana, do seu espírito guerreiro,
      para que possamos entender todas as características e os motivos do comportamento espartano
      ao longo de sua história. Nosso objetivo não é criar verdades, mas levantar questões acerca de
      como Esparta vai torna-se uma cidade tão diferente daquelas do seu tempo, um exemplo único
      de constituição de comportamentos e idéias que fascinou, e ainda fascina, por suas
      peculiaridades.
      ► A FUNDAÇÃO E A ASCENDÊNCIA DÓRIA DE ESPARTA
      Esparta foi fundada no século IX, pelos Dórios – um dos ramos das populações gregas
      estabelecidas na península helênica a partir do princípio do segundo milênio. Devemos
      pensar, portanto, qual seria a contribuição dessa descendência dória para a futura
      caracterização e formação guerreira de Esparta.
      Esparta vai ser considerada a encarnação do mito dórico, e autores como Platão e
      Isócrates vão mesmo considerar “dório” como sinônimo de “espartano”. Para Claude Mossé,
      o “mito das invasões dóricas, assim como o da irredutível oposição entre dórios e jônios,
      exprime, sobretudo, o antagonismo entre Esparta e Atenas”
      1
      . Ou seja, desde a antiguidade não
      poderíamos descartar a possibilidade, tanto de espartanos como atenienses, buscarem nas suas
      origens algo que os distinguissem um dos outros, salientando e legitimando a diferença deles
      no próprio presente.
      Região onde os dórios se
      estabeleceram. Esparta, Corinto e
      Argos são as cidades de origem
      dórica de maior destaque.
      (http://mkatz.web.wesleyan.edu/thucydides_lectu
      re/DorianInvasion.gif) →
      Acreditar que os “aguerridos”
      dórios, quando chegaram, por volta
      do século XII a.C., simplesmente
      devastaram tudo por onde passaram é
      uma explicação muito simplista para
      apontar as causas da decadência da
      civilização micênica e também como
      provável fonte da belicosidade
      espartana.
      A própria arqueologia, aliada
      a uma leitura crítica dos textos
      antigos, nos permite acreditar na ausência de uma ruptura real e determinista causada pela
      chegada dos dórios. Devemos mesmo acreditar numa possível miscigenação dos dórios,
      ocorrida de forma gradual, com os povos autóctones das regiões ocupadas. E, como podemos
      perceber na figura acima, foram várias as áreas de colonização dória – no entanto, só existiu
      uma Esparta.
      Certas características de origem dórica dos espartanos não podem ser negadas.
      Contudo, devemos começar a ressaltar aqui que os diversos fatores históricos perpassados por
      Esparta influenciaram muito mais para a sua caracterização guerreira e, portanto, cultural, do
      que qualquer ascendência poderia ocasionar. Ou seja, foi durante seu decurso histórico que
      Esparta foi adquirindo suas características mais destacáveis – ela não nasceu sendo a Esparta
      militar e belicosa em sua essência, mas sim uma polis qualquer como as muitas outras que
      surgiram na Grécia naquele momento.

      1
      M O S S É , C . D i c i o n á r i o d a C i v i l i z a ç ã o G r e g a . 2 0 0 4 . p 1 0 1 . ► A LOCALIZAÇÃO DE ESPARTA
      Para nossa análise, é importante destacarmos as características geográficas da região
      na qual Esparta se localizava. No estudo da Grécia antiga, é fundamental refletirmos sobre a
      possível influência do meio geográfico condicionando a ação dos homens.
      Localizada ao sul da
      península do Peloponeso, na
      fértil região do vale do rio
      Eurotas, a Cidade-Estado de
      Esparta é cercada por uma
      íngreme, alta e continua cadeia
      de montanhas, uma forma de
      proteção natural aos seus
      habitantes.
      ← Mapa físico do Peloponeso,
      no qual se percebe claramente
      a preponderância do revelo
      montanhoso e as poucas, mas
      férteis, planícies.
      (http://cpmwsrender04.cp.prod.mappoint.net/ren
      der-
      30/getmap.aspx?key=56C80A8EA75C75532F3
      D)
      As planícies do Eurotas, com o crescimento da população, acabam se tornando
      insuficientes para satisfazer as necessidades dos espartanos, fazendo com que a polis
      empreenda uma política agressiva e expansionista que vise assegurar a sua sustentabilidade e
      defesa – e que, certamente, influenciará muito na sua constituição social, cultura, política e
      econômica para os séculos seguintes. Contudo, não devemos caracterizar esse ímpeto
      espartano como resultado único de um determinismo geográfico, só não podemos nunca
      menosprezar a forte influência que a geografia exerceu para os espartanos.
      ← Mapa político do Peloponeso. Pelo seu
      crescimento e futuro fortalecimento militar,
      Esparta vai exercer uma posição
      preponderante em todo o Peloponeso.
      (http://alex.edfac.usyd.edu.au/BLP/websites/HOGAN/Sparta%20Hom
      epage/peloponnese.gif)► A SOLUÇÃO É A BUSCA POR NOVAS TERRAS
      Quando Esparta decide expandir seus domínios, devido ao seu problema de escassez
      de terras, sua história assumirá (devido a todas as conseqüências desse ato) uma
      particularidade sem precedentes na Grécia antiga.
      Haja vista Esparta não
      se localizar no litoral,
      impossibilitando uma saída
      natural para o mar, o
      expansionismo espartano vai
      se orientar na direção do
      próprio Peloponeso. A vasta
      e fértil região da Messênia
      vai ser o objetivo de
      conquista da polis espartana.
      Para isso, duas grandes
      guerras tiveram que ser
      realizadas: a primeira, de
      740-720 a.C; e a segunda,
      decisiva para a conquista
      daquela região e para o futuro
      de Esparta, de 640-620 a.C.
      O expansionismo de
      om/articulos/antigued
      Esparta, até o limiar do século VI a.C, era uma cidade-estado comparável às outras e
      omina
      Vamos perceber mudanças, principalmente, no campo político e social de Esparta a
      Esparta encontra terreno
      na vizinha e fértil região da
      Messênia. →
      (http://www.satrapa1.c
      ad/itome/mesenia.jpg)
      d da por uma aristocracia de grandes proprietários. Contudo, a Guerra da Messênia teve
      grandes e sérias conseqüências – como a conquista de novas terras e o domínio sobre uma
      grande massa de populações submetidas – e que sem dúvida vão urgir uma ação por parte de
      Esparta que vise a adaptação à essa nova realidade. Ou seja, garantir a perpetuação e
      sustentabilidade perante uma nova situação de suposta “vantagem”.
      partir do século V a.C. O embrutecimento e militarização da polis torna-se (para não dizer
      uma necessidade intrínseca) peça fundamental para a sua própria defesa, proteção e
      vigilância. Tudo isso vai ter um peso crucial na formação guerreira do espartano,
      especialmente para a sua especialização para a guerra e conflitos do cotidiano. ► ESPARTA TORNA-SE UM POLIS DE CARÁTER MILITAR
      A conquista da Messênia, ao longo dessas duas longas guerras, permitiu o aumento do
      número
      A necessidade que se vai impor do controle
      sobre
      Estátua de bronze de um hoplita espartano,
      Percebemos que, nesse período que se inicia com a guerra da Messênia, o Estado
      esparta
      daqueles que participavam da função guerreira naquela sociedade. Desde a primeira
      guerra da Messênia, os cidadãos foram beneficiados pela distribuição de lotes, os chamados
      clerói. Estas terras, localizadas nas regiões centrais da Lacônia e da Messênia, passaram a ser
      de posse e controladas diretamente pelo governo de Esparta, que por sua vez realizava a
      redistribuição delas para os cidadãos, a título de usufruto. Conjuntamente, houve a redução à
      condição de hilotas das populações messênias. Tais escravos, como aqueles presentes também
      na região da Lacônia, seriam igualmente de controle e posse estatal. Eles foram remanejados,
      proporcionalmente, pelos lotes concedidos aos espartanos, e se tornariam a força de trabalho
      preponderante no trabalho agrícola (garantindo a independência econômica e material),
      possibilitando aos cidadãos se dedicarem exclusivamente à vida militar.
      grande massa de populações dependentes
      (hilotas da Lacônia e da Messênia, periecos da
      Lacônia) urgia a tomada de medidas eficazes de
      contenção e defesa por parte de Esparta, visando a
      sua própria segurança e manutenção do status social
      vigente. Desse modo, a classe guerreira dos homoiói,
      dos semelhantes, formada pelo conjunto dos
      cidadãos espartanos, passa a ser um grupo
      privilegiado que vive recluso em perpétuo estado de
      defesa – o que contribui, progressivamente, na
      formação do caráter austero e agressivo dos
      espartanos. Ou seja, na sua especialização guerreira.
      Fica aqui evidenciado a importância do percurso por
      tais acontecimentos, aliada ao modo como ela vai
      enfrentá-los, para a caracterização de Esparta
      enquanto cidade guerreira.

      feito na Lacônia, no século VI a.C. Esta figura
      possui uma barba acentuada e um longo cabelo,
      traços característicos de um cidadão espartano.
      (SOUZA,P; HECKEL, W; LLEWELLYN-JONES,L. The Greeks at war.
      Osprey Publishing Ltd. 2004. p34)
      no vai desempenhar um papel cada vez mais determinante na vida do cidadão.
      Progressivamente, o controle e o autoritarismo de Esparta vão se expressando de forma mais
      forte – fundamentado, principalmente, na necessidade de abarcar todas as mudanças que
      estavam ocorrendo naquele período, garantindo assim os privilégios alcançados. A profunda
      hierarquização da sociedade espartana torna-se o espelho dessas necessidades. ► COMPOSIÇÃO E REGIMENTAÇÃO DA SOCIEDADE
      As transformações pelas quais Esparta vinha passando nos últimos séculos
      favorec
      omoiói ›› Eram os cidadãos espartanos por
      Relevo espartano demonstrando dois cidadãos. Estes
      m cidadão, para deter plenos direitos cívicos, deveria
      considerado “inferior”. Ou seja, em
      Periecos ›› Submissos aos espartanos, os periecos formavam comunidades autônomas
      na Lac
      ssuíam
      direitos
      Percebemos que Esparta detinha uma ordem social que favorecia a poucos, em
      detrime
      polis também vão sendo moldadas.
      eram, sobretudo com a guerra da Messênia, a composição gradual de uma sociedade
      altamente rígida, sem grandes possibilidades de mobilidade dentro dela. Podemos caracterizar
      a sociedade espartana como dividida em três categorias: os homoiói, os periecos e os hilotas:
      H
      excelência, os semelhantes. Detinham as melhores
      terras da Messênia e da Lacônia, estando proibidos de
      exercerem qualquer atividade econômica. Seus
      afazeres englobavam atividades de caráter político e
      militar.

      deveriam honrar sua cidade acima de tudo. (SOUZA,P;
      HECKEL, W; LLEWELLYN-JONES,L. The Greeks at war. Osprey Publishing
      Ltd. 2004. p114)
      U
      contribuir para o preparo das refeições que todos os
      espartanos do sexo masculino tomavam em comum, a
      chamada sissítia. Quem não fosse capaz de fazê-lo, era
      bora fossem designados como “iguais”, haveria sim
      algumas distinções internas entre eles, sejam pelos cargos ocupados, condições materiais,
      desempenho militar dentre outros critérios. A superior condição social alcançada pelos
      espartanos tornara-se possível graças à conquista militar de terras e a redução de povos à
      servidão. Portanto, podemos perceber que os afazeres espartanos voltam-se para a condução
      política da polis e, principalmente, à prática militar – como meio de garantir, pelo uso da
      força, os seus direitos e privilégios perante os conquistados.
      ônia e Messênia. Eram proprietários de terras, localizadas na periferia. Possuíam um
      estatuto bem melhor do que o de simples servos, pois eram considerados homens livres.
      Contudo, não detinham direitos políticos. Dedicavam-se à agricultura e à manufatura.
      Hilotas ›› Eram os escravos, que trabalhavam nas terras espartanas, e não po
      políticos. Eram de propriedade do governo espartano, sendo distribuídos aos
      cidadãos, nunca comercializados. Sua homogeneidade étnica e cultural, aliado ao ódio pela
      perda de suas terras, permitiu a união dos hilotas contra o Estado espartano – motivo de
      grande temor para estes. Foram várias as revoltas servis, principalmente na Messênia, que
      foram contidas pelos cidadãos guerreiros de Esparta.
      nto de muitos. Não podemos deixar de pensar também que o modelo de formação e
      composição social que Esparta vai desenvolver (incluindo aí a delimitação dos direitos e
      privilégios que os cidadãos vão dispor e as atividades que eles vão poder, ou não, realizar)
      atendia somente aos interesses dos espartanos – respondendo, principalmente, aos anseios
      destes pela preservação de privilégios, que estavam sendo obtidos através das conquistas, e
      que seriam resguardados também através de uma ordem social rígida e imutável. E é com
      vistas a essa necessidade de manter a ordem, preservar o status quo, que as instituições da ► A POLÍTICA ESPARTANA
      Segundo a tradição, a constituição de Esparta teria sido escrita por um legislador
      hamado Licurgo – um personagem de existência duvidosa, para o qual teria se dado uma
      aura m
      O Estado espartano vai ser institucionalizado dessa
      rma: A diarquia, na qual os dois reis possuem atribuições
      militare
      uitos acreditam se tratar de Leônidas, um rei de
      ligárquica, haja vista apenas uma minoria dos cidadãos
      particip
      ri
      o de assegurar o status quo da s
      erar Esparta como sendo um poder de caráter oligárquico,
      ão podemos creditar à apenas esse fator político a evidência e razão de todas as
      caracte
      parta ser considerada por muitos a cidade
      ligárquica por excelência, deveríamos sempre considerar que a “oligarquia espartana era,
      contud

      c
      ítica ao longo dos tempos. Tal constituição, contudo, não foi imutável: o regime
      político espartano vai tornando-se, progressivamente, mais conservador – tendo em vista a
      própria necessidade de manutenção do caráter estático da economia e da imobilidade social.
      fo
      s e sacerdotais; A Gerúsia, composto por 28
      cidadãos, um cargo vitalício, responsável por elaborar leis e
      decidir acerca de assuntos de guerra; a Apela, na qual
      participavam todos os cidadãos, mas que detinha apenas
      caráter consultivo; e o Eforato, em número de cinco e eleitos
      anualmente, responsáveis por vigiar as ações dos reis e da
      Gerúsia, dirigiam a educação e exerciam a justiça – de fato, a
      vida política era regida pelos Éforos.
      ← Busto de um guerreiro espartano do século V, do qual
      m
      Esparta. The Greeks at war.
      Osprey Publishing Ltd. 2004. p64)
      Tal forma de governo se demonstra essencialmente
      o
      arem da prática política efetiva. Devemos ressaltar,
      porém, que todos os membros desta oligarquia gozavam de
      ficamos que o objetivo mesmo de tal arranjo institucional foi
      ociedade, conservando assim os privilégios espartanos e sua
      contínua dominação dos escravos.
      Ainda que possamos consid
      direitos iguais. Desse modo, ve
      n
      rísticas espartanas. Ou seja, pensar a forma de governo oligarquia como sendo a base
      para a explicação das diferenças de Esparta é cair num dualismo que apenas contrapõe a
      Esparta oligárquica com a Atenas democrática.
      Para Claude Mossé, a despeito de Es
      o
      o, atípica, na medida em que o regime social em Esparta era diferente de todos os
      outros então existentes”

      . Dessa forma, pensamos que vai ser o conjunto de leis e modos de
      comportamento, adotados de forma gradual e se adequando às necessidades da época, com as
      instituições servindo para defendê-los, que vão conferir aos espartanos o seu perfil austero e
      militar. Já desde o nascimento, os espartanos vão estar submetidos às normas de sua
      sociedade, e vai ser com a educação espartana a base para a criação da consciência física e
      psicológica de seus cidadãos.

      ► A EDUCAÇÃO DE UM GUERREIRO
      A educação dos cidadãos espartanos, desde a mais tenra idade, era estabelecida e
      vigiada pela cidade. Esta possuía um grande interesse em gerenciar uma educação que criasse,
      acima d
      a educação austera,
      acompanhada de castigos físicos, na qual a
      criança
      cidadãos poderiam sofrer
      sicamente com as imposições da educação
      militar
      a
      onsciência adquirida pelos espartanos, no seu
      eio s
      erificamos a formação de uma base
      ultural na qual certos aspectos, peculiares em
      relação
      e tudo, um soldado para defender a cidade e as conquistas desta.
      Tratava-se de um
      Plutarco, filósofo grego que teria vivido
      era obrigada contornar situações de
      escassez de roupa e comida através de sua
      destreza, incluindo até mesmo trapaças e
      roubos. A coragem e os hábitos de obediência
      às leis eram sempre reafirmados entre as
      crianças. Por tudo isso, fica evidenciado o
      caráter exclusivamente atlético dessa educação.
      Enquanto isso, as meninas também receberiam
      uma educação física comparável ao dos
      meninos – haja vista terem de ser igualmente
      fortes para gerarem futuramente espartanos
      saudáveis.
      Os
      entre 46d.C. e 120d.C, nos fornece
      seu relato acerca da educação
      espartana:
      Quando uma criança nascia, o pai não
      tinha direito de criá-la: devia levá-la a um
      lugar chamado lesche. Lá assentavam-se
      os Ancião da tribo. Eles examinavam o
      bebê. Se o achavam bem encorpado e
      robusto, eles o deixavam. Se era mal
      nascido e defeituoso, jogavam-no [de um
      penhasco]. Julgavam que era melhor, para
      ele mesmo e para a cidade, não deixar
      viver um ente que, desde o nascimento, não
      estava destinado a ser forte e saudável
      […].
      Ning
      fi
      de Esparta, mas não devemos acreditar
      que eles próprios se sentiam oprimidos. Muito
      das críticas que os Espartanos recebem advém
      de autores de outras poleis, como Atenas, e que
      certamente detinham valores educacionais
      diferentes, por isso as opiniões pejorativas.
      É preciso ter em mente que
      uém tinha permissão para criar e
      e
      c
      m ocial, os colocava num patamar moral
      que não apenas aceitava as regras, mas
      consentia da necessidade de se passar por tais
      provações a fim de garantir um bem maior: a
      continuidade de Esparta, haja vista estarem se
      criando, acima de tudo, guerreiros – os
      efensores de Esparta e mantenedores da
      ordem.
      V
      ducar os filhos a seu gosto. Quando os
      meninos completavam sete anos, [eram
      arregimentados] em tropas, [submetidos] a
      um regulamento e a um regime
      comunitário para acostumá-los a brincar e
      trabalhar juntos. […]
      Ensinavam a ler e escrever apenas o
      e
      d
      c
      ao mundo grego, são exaltados,
      formando assim uma ideologia em torno da
      atividade guerreira que vai acompanhar os
      espartanos durante toda sua vida.
      stritamente necessário. O resto da
      educação visava acostuma-los à
      obediência, torna-los duros à adversidade
      e faze-los vencer no combate.

      (Plutarco. A vida de Licurgo. Em: Jaime Pinsky.
      100 textos de história antiga. São Paulo, Contexto,
      1998, p. 108-9) ► A EXALTAÇÃO DO ESPARTANO E SUA IDEOLOGIA
      era voltada principalmente
      ara o preparo físico, devemos avaliar então alguns dos aspectos que contribuíram na
      progres
      e imposição ideológica,
      temos
      te isolacionismo de Esparta, aliado a sensação contínua de medo causado
      ela necessidade de defesa, vai favorecer o surgimento entre os espartanos de um sentimento
      de ave
      torna-se importante para combatemos a idéia de que a cidade-estado
      spartana seria autoritária, controladora, cruel com seus cidadãos e manipuladora. Ora, tal
      visão,
      Após constatarmos que a forma educacional dos espartanos
      p
      siva construção de uma ideologia guerreira, responsável por conscientizar os cidadãos,
      agora de forma psicológica e o mais cedo possível na vida destes, daquilo que era a prática
      social e as regras a serem obedecidas com rigor.
      Como exemplo maior
      d
      as palavras de Tirteu
      aos espartanos. Por volta da
      metade do século VII a.C. ,
      quando Esparta estava em
      luta contra os messênios, o
      poeta espartano Tirteu
      compôs poemas para exortar
      seus concidadãos a lutarem
      melhor. Nos anos seguintes,
      a leitura de tais poemas
      tornou-se parte da educação
      militar espartana, numa
      forma mesmo de facilitar a
      interiorização dos principais
      valores sociais espartanos,
      como a própria coragem e o
      dever perene de se lutar pela
      polis.
      O crescen
      Tirteu e a exaltação do espírito espartano:
      “É belo que o homem bravo, combatendo por sua pátria,
      tombe na linha de frente; mas o que deserta da sua cidade e de
      seus campos férteis e vai mendigar, errando com sua querida
      mãe, seu velho pai e seus filhos, esse é o mais miserável dos
      homens (…) Nós, corajosamente, combatemos por esta terra;
      morremos por nossos filhos; não poupamos a nossa vida. Ó
      jovens!, combatei unidos uns aos outros e não temais senão a
      vergonha da fuga; estimulai em vossos corações uma valente
      e sólida coragem e não vos inquieteis com a vida, na luta
      contra o inimigo (…) Combatemos, pois, com coragem, por
      esta terra; morramos por nossos filhos, sem jamais poupar
      nossas vidas.”
      Tirteu. Eunomia. Citado por Arruda, J. História Antiga e
      Medieval. P 139
      p
      rsão aos estrangeiros. Isso acaba por favorecer o etnocentrismo espartano, que vai
      repelir de forma rude qualquer forma de intervenção externa em seus assuntos próprios.
      Esparta vai rechaçar um contato freqüente com outras poleis, por justamente querer impedir o
      contato com idéias inovadoras e, portanto, consideradas subversivas para a base na qual o
      sistema espartano se apoiava. Podemos entender tal comportamento como a forma mais
      evidente de se tentar manter um status quo, evitando qualquer forma de mudança brusca
      naquela sociedade.
      Tal análise
      e
      além de generalizante, busca apenas simplificar uma situação por demais complexa –
      que ocorrera em torno da construção daquela unidade política – para ir logo culpando Esparta
      por seu regime institucional não alinhado às formas democráticas de governo. Por isso,
      devemos sempre ter em mente o importante papel que o cidadão vai desempenhar dentro
      dessa polis, avaliando sua importância (e vontade) para colaborar na manutenção ou queda de
      determinado regime, bem como no encaminhamento da própria trajetória histórica espartana.
      Contudo, não devemos pensar que essa ideologia era entendida por todos os cidadãos da
      mesma forma, mas era a que possuía um caráter geral, sendo aceita pela grande maioria, e que
      caracterizava os espartanos enquanto tais frente aos outros gregos. ► ESPARTA EM GUERRA
      Agora que já demonstramos os vários elementos que contribuíram para a construção
      e um caráter guerreiro em Esparta, devemos igualmente analisar o âmbito prático militar
      esparta
      mbate dos espartanos, tal como a de todos os outros gregos, pelo menos
      partir do século VII a.C., era através de uma formação cerrada e de grande disciplina, a
      chamad
      A guerra hoplítica consistia
      essencialmente no confronto entre
      duas fa
      época da
      uerra do Peloponeso. (Gilbert, A.
      O equipamento utilizado pelos hoplitas consistia em um pesado escudo circular de
      adeira, de pouco menos de um metro de diâmetro, coberto de bronze, além de um elmo e
      uma ar
      d
      no, para que possamos buscar informações que possam sugerir alguma diferença, ou
      não, que os espartanos possuíam em campo de batalha e que poderiam auferir alguma
      vantagem para eles.
      A forma de co
      a
      a falange. O exército não era um corpo especializado, pois nela combatiam os próprios
      cidadãos. Estes, que participavam das decisões políticas da polis, também tinham como dever
      intrínseco combater em pé de igualdade na guerra – isso evidência a estreita relação da
      política e da guerra naquela sociedade.
      langes de infantes fortemente
      armados. Ocorre geralmente na
      planície, sendo o lado vencedor aquele
      que domina o terreno. Podemos
      perceber nesse modelo de guerra uma
      certa busca de igualdade de condições,
      uma justeza que busca um panorama
      que destaque o vencedor pela sua
      braveza e coragem, campo no qual
      sabemos que os espartanos se
      destacavam, e não através de táticas
      de surpresa ou estratégias mais
      flexíveis.
      ← Hoplita grego da
      G
      Enciclopédia das Guerras. 2005. pág 19).
      m
      madura de bronze. O armamento ofensivo se tratava de uma lança afiada com três
      metros de comprimento e uma espada curta. Os espartanos se armavam exatamente como os
      outros gregos da época, a não ser pelo uso de um peculiar manto escarlate, que logo tornariase o símbolo do militarismo espartano. Portanto, não há nada que justifique a superioridade
      espartana através dos armamentos ou qualquer outra inovação técnica, somente pequenas
      variações que não seriam suficientes para caracterizar qualquer tipo de vantagem. número total de cidadãos
      esparta
      O modelo de guerra hoplítico, tão
      caracte
      státua de finais do século VI a. C. feita
      r-
      essa análise, encontramos mais semelhanças do que diferenças entre os espartanos e
      os out
      O
      nos disponíveis para a guerra nunca
      foi muito grande. Mesmo quando alcançou
      seu maior número, já em fins do século VI
      a.C., foi de provavelmente menos de dez
      mil. Já no começo da Guerra do Peloponeso,
      esse número poderia ter caído pela metade.
      Portanto, a forma de recrutamento militar
      espartano, para formar a base da sua força
      militar, também passava pelo recrutamento
      do restante da população da Lacônia, os
      periecos e hilotas, que serviam como
      regimentos bélicos mais leves.
      rístico do mundo grego, não persistiu
      inalterado por muito tempo, nem mesmo em
      Esparta. Já na Guerra do Peloponeso, a
      falange deixará de ser a única formação de
      combate, abrindo espaço para a ascensão de
      uma infantaria ligeira e a também da
      cavalaria, bem como a contratação de
      mercenários profissionais de guerra, o que
      levaria a uma diversificação dos métodos de
      combate no mundo grego. Certamente, tais
      mudanças não favoreceram Esparta, que se
      via igualmente obrigada a combater de
      outras formas, perdendo o modelo de
      combate pelo qual se destacara
      anteriormente e no qual se empenhava sua
      força.
      E
      em bronze demonstrando um soldado
      espartano com sua manta. (CONNOLLY, Pete
      Greece and Rome at War. Englewood Cliffs: Prentice-Hall Inc.,
      1981. pag 41). →
      N
      ros gregos em termos militares. Tudo isso reforça nossa idéia de que a eficácia
      espartana para a guerra não estava em alguma qualidade técnica de caráter material ou
      qualquer outro fator, mas sim naquilo que cada espartano carregava dentro de si: seus valores,
      sua coragem e suas crenças. Enquanto o modelo tradicional grego de guerra persistiu, Esparta
      foi a maior força militar grega, mesmo com um número diminuto de cidadãos-soldados.
      Sofreu várias derrotas ao longo se sua história, mas sua pujança militar continuou causando
      temor entre os gregos e criando mesmo uma lenda em torno da força espartana para a guerra. ► CONCLUSÃO
      osso objetivo neste trabalho foi procurar e destacar alguns elementos que
      conside
      o a ascendência dória, o
      meio g
      stória de Esparta e de sua formação, como demonstramos através desse trabalho,
      continu
      Estátua moderna do
      HECKEL, W;
      N
      ramos importantes sobre a história de Esparta, por justamente possibilitarem a nós
      uma melhor compreensão de como se deu o processo de construção, em Esparta, de uma
      cidade voltada para valores e práticas militares. É focando nesse processo que pudemos
      perceber o quão importante foram os vários acontecimentos enfrentados por Esparta, e sua
      resposta para tais, para a definição de suas principais características.
      Nosso intento foi fugir de qualquer fator determinante (com
      eográfico, o regime político oligárquico e as condições técnicas de guerra) para
      embasar nossas explicações e argumentos acerca da formação espartana. Por isso, buscamos
      no conjunto de costumes e idéias daquela cidade, que foram se formando paulatinamente e
      influenciadas pelas necessidades de cada ocasião (como as guerras e a necessidade constante
      de defesa), a base sobre a qual se estabelece, e se justifica, a construção de uma sociedade
      guerreira.
      A hi
      a sendo de difícil reconstituição, mas é dever do historiador sempre refletir e
      questionar sobre tal história, não se contentando com explicações generalizantes e pouco
      críticas que acabam diminuindo a complexidade das situações.

  74. É MUITO LEGAAAL MESMO AMEEEI

  75. fernando de esparta

    q tal fazer uma sondagem mostrando quem é melhor??

    os espartanos
    os romanos
    os macedonios
    os persas
    os atenienses
    os argoenses(ou seja lá como eram chamados)
    e heroi,quem foi o melhor heroi??

    leonidas
    alexandre
    aquiles
    crasso
    julio cesar
    ajax
    teseu
    perseu

    e outra coisa,uma pagina de sondagens q tal??

  76. Antonio José Inacio,vou responder o seu comentario,

    Teve guerra de esparta e roma sabia??Os romanos uma vez invadiu a grecia e começaram a destrui e dminar tudo,mas não destruiram e nem dominaram esparta quando invadiram a grecia,porque??Sera que os romanos não são capazes,aliás,os espartanos repeliram roma para fora da grecia.

    Cultura??eles tem,tanto q tem uma festa q nenhum dos outros gregos tem,e a comemoram ao invés das olimpiadas,a festa é a carneia.

    Disciplina??O agoge os treina bem,os monstram o q é sofrer,os dão resistencia,força,disciplina,agilidade,porque é posto a prova,e o fato de ser bem jovem ajuda,porque ai,vai querer morrer muito menos do que quando adulto,e vai usar toda sua energia,porque muitos dizem q quando criança,se tem mais energia pq é jovem.

    Cristianismo??Eles não aceitaram por sua religião rigorosa,e que não se acham obrigados a mudar porque o mundo é desse jeito,vejamos a india,o japão,o egito,eles mudarão??não.

    Tirania e bandidismo??Pra vc só,os bandidos podem ser assim,mas é pq eles sabem q os espartanos eram bem fortes e tinham otima força e disciplina,mas eles não sção espartanos,o q os faz errar em outras coias,e se não receber algo pelo menos parecido como o agoge quando crinaça,não vai conseguir,e vai fugir em alguns pontos.Quanto a treinamento do agoge ser desumano,é para os espartanos aprenderem como a vida é dura,e qu ie sempre pode piorar,para aprenderem a nunca desistir e nem se render,de forma avançada,porque no agoge,desistir ou se render,significa falha,e a falha no agoge,pode levar a morte,e mesmo se sobreviver,vai viver desonrado por muito tempo,e em vida normal,se falharmos não costumamos nos dar bem né??

    Essas coisas de revoltas e tudo o mais??Os espartanos se revoltam,mas pelo menos eles tem coragem para isso,porque muitas cidades se revoltariam se tivessem coragem,aliás os espartanos são batalhadores,por isso tentam mudar,eles acham que o governo só jnão vai dar conta,aliás,pode talvbez ter razão na filosofia espartana,os politicos tem essas coisas,mais ainda sim são pessoas,e são tratadas como qualquer pessoa.

    Evolução e filosofia??Esparta evolui sim,mas de um jeito diferente,eles não querem só saber de conforto,mas o trabalho tambem ajuda,parece que não,mas na antiguidade esparta tinha uma filosofia muito evoluida,eles não dão tanto valor ao dinheiro,sabem que o coração vale mais,sabem que se não terem dinheiro,podem eles mesmos fazerem as ferramentas,e pegarem os materiais,e fizerem as coisas por si mesmos,ao invés de querer ter dinheiro para ja ganhar um serviço pronto,issom né prequiça para os espartanos.

    Comparação:

    Disciplina:Os romanos nem tonham bons guerreiros,e sim bons comandantes e bastante guerreiros,alem do treinamento ter que durar mais ou menos um ano só.Os espartanos eram treinados desde crianças,com muito vigor,mostrando a dureza da vida,ensinando a não desistir e não se render,porque se fazerem isso vão falhar,mais se errarem e tentarem de novo até conseguir,não vão falhar,e se falharem tem pessimas punições,uma delas,é a morte,eles são posto a prova,competindo com varios outras crianças de sua idade,pois os espartanos só querem os melhores,eles não querem quantidade,e sim qualidade.

    Evolução e filosofia:Os romanos usaram como base outras civilizações,como os gregos,por isso a semelhança,mais parte foi criada por eles,e eles tinham muito ouro,lá a riquesa era de total importancia,porque roma,vendia e comprava muitos escravos,sua fonte de riquesa era sua venda de escravos,e os escravos trabalhavam,construindo as coisas,divertindo eles,limpando,e os romanos,somenta aproveitavam.Os espartanos,trabalhavam com suas proprias ferramentas,e colhiam eles mesmos seus recursos,e parte era dada para o governo,pare eles construirem novos edificios,mas nenhuma casa,porque os espartanos montavam suas casas,eles só compravam o que era nessessario, o governo contratava trabalhadores,para pegarem recusos pelo governo,mas ganhavam dinheiro para comprar recursos para eles mesmos,e mesmo assim só mantimentos,os espartanos vendiam parte para outras cidades e comerciantes que passavam, e ganhavam dinheiro para pagar a conta das casas e essas coisas,quando compravam a casa ou um movel de alguem,mais quando c0nstruiam para si propios não pagavam nada,pois eles que fizeram,era assim em esparta.

    Religião:Roma imita a religião de outros,a maioria criava parte dela,o que roma fez,mas tinha base,como o mundo,sempre tendo base de religião em um pais,mais Roma imitou de mais de um pais,e não tinha o propio,Egito e Grecia são um exemplo.Eparta tem uma repiligião como todas da Grecia: venera um dos 12 deuses olimpianos,e tem festivais e rituais em homenagem em seu deus,e alguns em homenagem a todos os outros deuses.

    Contanto,Esparta parece ser melhor do que Roma.

    Obs: Não acredia??Tenho provas:eu pesquiso sobre espartanos desde os 5 anos,e me treino como um espartano,colocando cada detalhe possivel,desde os 5 anos,hoje em dia,tenho 9 anos,e fasso 10 em dezembro,e sei como é o treinamento,eu comecei a treinar mais cedo atécom os 5 anos ao invés de 7 anos,e acredite,o treinamento é muito dificil,e mesmo assim,nunca falhei ao modo,ja errei,mais tentei de novo até conseguir e cosegui,eu até fundei uma sociedade onde treino todos como os espartanos,e uso o modo deles em tudo,e todos treinam.

  77. se alguem gosta mais de esparta do que de roma vai fazer comentarios em blogs de roma!

  78. fernando de esparta

    eu admiro os espartanos pela sua coragem
    nunca desistir
    nunca se render
    para mim os espartanos foram os melhores do universo,só deus supera eles,se bobia nem deus!

    essa é a minha opinião.

    eu sou fã deles pq eles são guerreuros mesmo,não temem nada,se sacrificam por esparta e pela razão sem querer nada em troca,não são ambiciosos por ouro,preferem muito mais lutarem e são treinados desde os 7 anos de idade.

  79. Os espartanos nunca devem ser subestimados ,sempre tiveram grandes taticas de guerras , mas embora serem fortes e muito disciplinados eles nao puniao uma luta de crianças entre si , adultos entre si e tal , eles até quando um lutava contra o outro eram incentivados para ver quem era o melhor , assim poucos chegavam aos 30 ou 40 anos , se nao fosse isso talves teriam exercitos maiores e grandes chances de sobreviverem.
    A batalha das termopilas (dos 300) realmente me impressionol , 300 homens lutaram contra 1.000.000 e mataram 20.000 , em media cada um rendeu por 66 dos persas , e conseguiram salvar athenas que nesse 3 ou 4 dias reunirao um grande exercito capas de conseguir derrotar o persas e salvar athenas , realmente a tatica de eles ficarem entres duas rochas assim impedindo de os persar chegarem com cavaleiros, ou pelas laterais dos hoplitas (os soldados que formaram a maioria dos exercitos de esparta) um ponto fraco das falanges deles . Pessoal espero ter deixa esclarecido algumas duvidas e deixado bem claro que os espartanos são 10.

  80. a maior civilizacao q ja existiu e certamente os gregos pois eles aperfecoarao todas as possiveis armas da antuiguidade antes deles os egipcios nao fizeram igualnao tinha formas de defesa forte e suas unidades eram facil de ser esmagadas fenicius eram povos sem muita forca e unidades fracas e facil de ser dominadas gregos inventaram o q chamamos de democracia q influenciou a disenvolver o mundo q vivemos e ainda influencia povo egipcios e fenicius enventarao a matematica e os gregos arpecoarao e ela e hoje do mesmo jeito q hoje com menos coisas numeros mas do mesmo jeito de diminuir e etc os gregos na grecia antiga davam se uma grande importancia a higiene eles davam cursos como hoje a toda a populacao na grecia antiga e q se viu mais numeros de unidades de guerra espadachim,fandibulario,arqueiro,hoplita,cavaleiro ,biga,catapulta as maiores falangens dos tempos. Os navios Barco de transporte,Birreme,Navio-farol,Navio incendiário,Navio de transporte rápido,Navio colonizador eo mais forte navio da antiguidade o Trirreme a metelologia cartografia tudo que temos hoje e porque gregos criarao e tudo para outras pessoa descobrirem a ciencias a grecia e o berco da civilizacao tudo q temos hoje e porque gregos lutarao para um mundo com democracia romanos copiou toda a arqtetura grega para roma existi persa iriam domina toda a europa se gregos n existicem a europa e hoje o q e por causa da grecia a asia tb qd alexandre costruio 1000 estradas e escolas com esino grego apropiado para todos os povos dominados ele foi o maior de todos, o mundo hoje e dremocratico por causa da grecia a grecia mundou o nosso percurso q nunca ja houvio falar dos deuses do olimpo hercules tseus o minotauro ,medusa,zeus,poseidon,athena,hera e etc e historia da nossa civilizacao do mundo os maiores filosofosherodoto,aristoteles,platao entre outros as mais bonitas acropoles principalmente acropole de athenas o pathernon os arquitetos mais inteligentes hoje um ggrego por ano em media 35 mil euros por ano 60 mil reais por ano bon ne? eo brasileiro10.654 mil dolares mais ou menos 13 mil reais por ano pouco eu so falei isso porque tem pessoa q falaram q a grecia e de terceiro mundo ,hoje a grecia e um pais q 2/4metade da populacao trabalha em setores de primeiro mundo 1/4em producao agrariana agricultura no campo e o restante em producao de navios pretolero eu morei na grecia 3 anos e foi meus melhores anos da minha vida o mundo e muito democratico por causa da grecia

  81. e e claro as olimpiadas

  82. Antonio José inácio

    Recentemente apareceu um regime parecido com a civilização espartana, o nazismo: violência e intolerância. Se Hitler fosse espartano teria sido um herói como Leônidas. Contudo, nasceu na época errada.
    Ainda gosto mais dos Romanos como civilização antiga, mas acho os espartanos interessante para estudar pela peculiaridade. Como exemplo, nem tanto.

    • alexandre conquistou muito mais do que todos os reis de roma foi o maios imperio do mundo antigo e nao por tamanho mas por ter 20 linguas diferente oficial pelo imperio por ter milhoes de trabalhadores em construcoes a cada hora por ter sempre a disposicao 150 200 250 mil soldados prontos em 5 meses para guerra essa foi o maior imperio a te alexandre filho de zeuz nascer e conquistas toda os persas que vai da turquia as fronteiras da india por domina os egipcios e ser sucessor dos faraos por destrui a shitia sul do que hoje e russia e muito mais e etc por ser um dos dois melhores estrategista antes de cristo primeiro anibal de cartago

  83. Esparta é, com toda a certeza, um exemplo de vida para todo o mundo.
    Muitos podem tê-la taxado de ortodoxa, quadrada e tudo o mais, mas o que ela fez somente foi proteger seu próprio povo, dar a vida por sua honra, não ser volúvel como Roma o foi. Esparta só não se expandiu porque esse não era seu objetivo, pois se o fosse, com certeza teria sido um grande império. Roma se expandiu na intenção de controlar o mundo, numa ambição desmedida,e afinal não conseguiu ser o maior império, pois foi duas vezes menor do que o de Alexandre e quatro vezes menor do que o de Gengis Khan.
    O que Roma fez foi, no Concílio de Nicéia com Constantino, Cristianizar os costumes e festas pagãs e rituais obscuros, trocando somente os nomes e mantendo até mesmo as datas, como, por exemplo, o Natal.
    Já Esparta não se prostituiu, e como os antigos e verdadeiros cristãos, não negaram à sua honra e morreram proferindo sua lealdade.
    Esparta foi, acima de tudo, simples e prudente.

  84. alguem poderia por favor me informar qual a editora do livro, Os Espartanos: Uma História Épica ?

  85. Eduardo Bolognese

    caros amigos boa noite,sou professor de história classica, vamos lá tanto espartanos como os romanos e os macedôniso todos tiverão seu momento de gloria,forão quedas ascenção de imperios, um exemplo os espartanos se destacarão na guerra do peloponeso guerras civil, e sua gloria maior foi com Leônidas, so isso, Alexandre não era grego sim macedônio hoje os paises balcas antiga iugoslavia ele aproveitou a decadência das cidades estados gregas e foi dominado uma a uma até destruir tebas até a ultima pedra, ele se voltou para a Persia com seu Império em decadência e derrotou Dario ele chegou até a India mas não fixou a conquista pois seus generais queriam voltar para grecia,e levar toda a riqueza e e saque mas Alexandre unificou o ocidente com o oriente unificando sua cultura, mais seu reinado foi de mais ou menos anos.Um novo imperio apareceu com seu comercio e força naval e militar ( cartago ) que ia desde atual libano até a libia e a espanha e uma parte da galia ( França).Mas apereceu roma com sua republica e um exercito profissional houve as guerras punicas com vitoria romana, desde então o exercito romano passou ser o melhor do mundo como organização, logistica, soldados remunerados, bem treinados eram dividos em legiões da .republica romana havia o total de legiões pronta para guerra total de

  86. Caros amigos o melhor exercito que o mundo já foi o exercito alemão da segunda guerra a terrivel wehrmacht ( exercito alemão ), tanto como na primeira guerra e muito mais na segunda guerra, não sou nazista tenho quem reconhecer a capacidade a tenacidade do soldado alemão, eles lutarão contra o mundo todo e derão, um trabalho danado, se os paises em conflito não fossem aliados estariamos em guerra até hoje, pois o exercito alemão foi derrotado pela aliança, e pela invasão da antiga união soviética pela arrogancia de hitler pois seus generais tinha outra estrategia para invadir os russos, pois na minha opinião o exercito foi o melhor que apareceu hoje, tanto que na europa de hoje o exercito alemão é muito forte e respeitado

  87. Os espartanos são muito superiores em combate que os romanos,isso foi posto em prova no programa da Tru tv chamado o mais letal de todos os guerreiros em que se colocam na simulação de luta AS ARMAS, TÉCNICAS DE COMBATE E ARMADURA.
    Os romanos ganharam nos quesitos com sua pilum(lança),armadura(já que os espartanos usavam pouca) e só.
    Em todo resto esparta ganha espada,escudo,luta,ataque a curta ,média e longa distância.Colocaram em simulação 1000 lutas entre esparta e roma:
    o resultado impressionou a todos 709 contra apenas 291 vitórias de roma!

    A diferença e que esparta só dominavam os que queriam tirar-lhe a liberdade e roma apenas para crescer!

  88. não só pela cidade esparta quanto também pelos jogos esparta(vezes)atenas jogos escolares do colégio lyceu anglo

  89. EU AMO ESPARTA MESMO QUE ELA JÁ SI FOI EU AINDA AMO

  90. Para mim a maior força militar da antiguidade foi a legião romana, mesmo tendo sofrido derrotas pelo caminho.Quando os romanos foram derrotados pelas falanges de pirro, é bom que se diga que pirro utilizou os elefantes, até então desconhecidos pelos romanos, mesmo assim as baixas de pirro foram enormes, tanto é que existe o o termo que ficou conhecido como vitória de pirro, onde o vencedor sai com tantas perdas que não se tem nem o gosto da vitória. Isso já evidenciava a força das legiões. Em cinoscéfalos os elefantes, agora aliados das legiões romanas derrotaram as falanges macedônicas.Só que com uma diferença absurda, enquanto que nas batalhas contra pirro as perdas foram grandes de ambos os lados, em cinoscéfalos as perdas das legiões não chegaram a mil enquanto que os macedônicos tiveram perdas de quase 8 mil soldados.
    Aqui ficou nítida, a eficiencia, qualidade e supremacia das legiões sobre as falanges.

    Algumas observações são necessárias:
    Os romanos desde os primordios enfretaram varios povos cultruralmente diferentes: etruscos, gauleses, cartagineses e bárbaros.

    Em zama, foi o genio de Aníbal que derrotou os romanos, o maior general da antiguidade, sua tática é exemplo até hoje para os exércitos.

    E em carrae, os partas ou persas, já não eram mais aqueles soldados sem armadura pesada dos tempos de alexandre, estavam superequipados e usavam armadura total, alem disso, utilizaram os camelos para levar a munição e suprimentos aos arqueiros, tanto é que nessa batalha quase não houve luta corpo a corpo.

  91. Onde eu escrevi zama, entenda-se canas

  92. Respeito os defensores de Alexandre o grande que em 13 anos construiu o maior império até então, mas que foi superado pelo império romano que foi o mais vasto da antiguidade, alem de ser o mais poderoso tambem.
    O imperio de Alexandsre ruiu, porque nao souberam governar , ficou nas mão dos familiares ambiciosos, corruptos e traidores.Então um imperio imenso assim não poderia durar muito tempo.
    Portanto, respeito a opinião, mas não dá para comparar a eficiencia e estrutura do império romano com os outros impérios da antiguidade.Os romanos foram conquistando territórios pouco a pouco e com isso tinham tempo para administrar os terriórios conquistados.
    O império romano foi o maior porque os romanos tinham as melhores e mais diversificadas malhas viárias da antiguidade.Quem nunca ouviu falar a frase: Todos os caminhos levam á Roma.
    Foi o mais poderoso, porque o império teve que conviver com os mais variados povos de diferentes etnias e culturas, que iam desde os bárbaros gêrmanicos até os judeus e gípicos. E foram as leis romanas que deram a sustentação e manutenção desse império, que era dividido em provincias. Cada provincia pagavam tributos a Roma. As províncias estavam sob a autoridade dos governadores, consules e magistrados romanos, alem da força militar representada pelas legiões. E todos estavam sob o comando do imperador.E foram dezenas de imperadores. Por isso o direito romano foi um dos maiores legados da antiguidade e que deu base para o direto moderno.Que povo da antiguidade teve uma organização assim?
    Poderão falar dos egípicios, mas os egípicios nunca saíram do Egito.

  93. Outra bobagem é dizer que o exército persa tinha um milhão de pessoas.Como voce deslocaria tamanha quantidade de pessoas eemsmo que fosse esse número, masi da metade não poderiam ser soldados, pois quem levariam os suprimentos e alimentos para eles?
    Sabe-se que isso foi uma descrição exagerada feita por heródoto para enaltecer a vitória grega.
    Existe um concenso hoje, que esse número não passava de duzentos mil.

  94. Os Espartanos caíram varias vezes por sua arrogância, Caíram pelas lanças macedônias, A Macedônia reinventou a guerra em sua época e Esparta continuou a mesma e foi derrotada, Na época dos Romanos caiu por manter a mesma arrogância e não se reinventar.
    Se Esparta, se os espartanos fossem menos arrogantes a capital da Grécia seria Esparta e não Atenas… mas se não fosse a Arrogância, orgulho, coragem, honra e fugacidade espartana talvez eu não estivesse aqui, nos não estivéssemos aqui, oque seria da Europa se não uma província se Xerxes não fosse atrasado por Leônidas e seus aliados nas Termópilas… bem eu nunca vou saber.
    Tenho o maior respeito e admiração pelos espartanos, admiro o suficiente para apontar oque EU acho falha.
    Oque eu chamo de arrogância pode ser coragem e autoconfiança para alguns)

  95. Esparta na minha opinião foi o exercito de poucos homens que mais teve honras nas batalhas pois sua temida falange formada por lanças e escudos era a mais forte da grecia antiga os deuses mesmos os almadiçoanda eles os espartanos venceram muitos oponentes de varios comentarios que ja ouvi um colega meu me descepisinou, ele me disse que esparta caiu ao chão porque eles eram muitos poucos soldados, ele de tão burro que e me disse se em vez de eles terem criados soldados deviam ter feitos tanques de guerra blindados com em cima um soldado com colete a prova de balas eu disse a ele que naquela epoca não existia tanques existia arietes e em vez de blindados existia escudos e em ves de soldados existiam hoplitas com armaduras eu disse tambem que se eles perderam sua cidade por motivos de soldados então porque voce não leva o colegio inteiro contra os romanos porque nossa escola tem quase o quintruplo do soldados romanos leve nos como soldados seu burro então ele se calou e disse então pelo qual motivo esparta? eu não soube respo der.

  96. O maior conquistador militar que existiu na face da Terra foi Alexandre o Grande, o fato de nunca ter perdido uma batalha sequer, e a forma como interagia com o povos subjugados o diferenciava de outros conquistadores, mas o Grande General que existiu é Anibal Barca, o Cartaginês, o pai da estratégia militar, permaneceu dentro do Império Romano por vários anos, sem perder qualquer batalha, mas como alguém falou, os Romanos se adaptaram, e já que não podiam ganhar dele na atual Itália, invadiram Cartago, fazendo com que o Grande General tivesse que voltar a sua terra natal, abandonando assim do cerco a Roma.

  97. Acho que os romanos foram os melhores sim, sua eficiencia em abtalhas era incomparável… Sua disciplina foi maior que a de muitos exercitos! Esparta teve sim sua gloria, mas nao tenham na cabeça a ideia que o filme 300 passa os espartanos eram impiedosos e maus (assim como os romanos e todos os soldados dos grandes imperios) massacravam escravos em suas cidades apenas por diversão! (“exercícios de treinamento”) foram fortes sim, mas foram subjugados por Roma assim como por muitos outros

  98. gaio Julio cesar foi um dos melhores estratégistas de guerra ele q liderou a lendaria terceira legião quando foi dominar a Galia

  99. os dórios vieram lá onde Judas perdeu as botas, só para conquistar a peninsula. É muito não ter oque fazer, mas enfim esse foi o destino daquele povo!

  100. PORRA, COMPARAR IMPERIO COM NAÇÃO A SERIO É FODA..TEM GENTE DIZENDO QUE ROMA ERA ISSO E AQUILO E A MACEDONIA IBIDEM, MAS A RUINA DELES FOI JUSTAMENTE ESSE EXPANSIONISMO CEGO E IRRACIONAL POS-ACADIO..QUANTO A ESPARTA FOI UMA DAS SOCIEDADES MAIS FANTASTICAS QUE JA EXISTIRAM JUSTAMENTE POR NÃO TEREM BANCADO OS FDP´S..ELES QUERIAM CONTINUAR SENDO ELES E NÃO OS ROMANOS OU MACEDONIOS QUE SONHAVAM SER GREGOS, PERSAS, ETC..

  101. Roma foi maior porque tinha um exército profissional, um sistema disciplinar, rígido e um comando centralizado. A logística romana era o cerne da guerra, o dinheiro é o cerne da guerra, não é a toa que os americanos tem o maior exército do mundo.

  102. cara os spartanos eram os maiores

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s